Arena dos Blocos é confirmada no Carnaval de Cabo Frio

vai ter carnavalDesde a veiculação, no final do ano passado, de que a Prefeitura de Cabo Frio não faria o Carnaval da cidade, houve muitas informações desencontradas nas redes sociais. O que aconteceu, na verdade, foi uma informação passada de maneira equivocada.

Claro que vai haver Carnaval! O que não haverá é repasse de dinheiro público para os desfiles de blocos e escolas de samba. O próprio prefeito Alair Corrêa (PP), em entrevista à BBC News, reiterou a informação. “Cada agremiação que desejar pode desfilar, desde que arque com todas as despesas. A Prefeitura não tem recursos”.

Em vista disso, e para esclarecer o impasse, quatro blocos se manifestaram nesta manhã (26) no Facebook e emitiram uma nota oficial, garantindo que a Arena dos Blocos, local de concentração de muitos foliões, implantada pela primeira vez em 2013, será, mais uma vez, montada – e com 100% dos recursos vindos da iniciativa privada. Segue a nota:

“Os Blocos OFICIAL, DAS DAMAS, OH SORTE! e QUERO MAIS se uniram e vamos montar uma super estrutura coberta com mais de 3.000 metros quadrados, com piso, camarote, palco, banheiros, praça de alimentação e toda segurança que vocês merecem para curtir o Carnaval !

Diante da crise econômica que o país passa, e afeta também nossa cidade, entendemos que a cidade não poderia ficar sem a maior festa do ano, e contratamos TRIOS ELÉTRICOS que vão puxar os blocos pela orla da Praia do Forte e fazer a alegria da população e turistas. Lembrando que todo o investimento é privado!

Espalhem a notícia: Cabo Frio vai, sim, ter CARNAVAL!”

Além disso, a Associação dos Blocos e Atividades Carnavalescas de Cabo Frio (ABACCAF) publicou em sua fanpage o mapa dos blocos que estão aptos a desfilar na cidade já a partir deste sábado (30).

Para os DJs: mais talento, menos mídia

tarapi
MC Tarapi

E termino mais um final de semana de trabalho como DJ (atualmente, como residente do pub Camarote da Bola, no Boulevard Canal, em Cabo Frio; e do Luau do Nada Igual, no São Pedro Esporte Clube). Cinco noites por semana dormindo com o dia claro, tendo que conciliar com meu trabalho diurno, me sacrificando um pouco para conseguir equacionar as finanças nesses tempos de crise.

sabrina
MC Sabrina

Mas não é de crise que eu quero falar. Também não quero ficar aqui me lamentando. Mas é que a gente passa tanto tempo engolindo sapos, aguentando quieto uma série de situações esdrúxulas, que chega uma hora que isso tem que ser colocado pra fora. Como eu não sou de briga, de confusão, prefiro externar o que sinto aqui, pros meus leitores, que são poucos, mas fiéis.

Estou nessa vida de DJ há quase três décadas. Passei por várias fases (de mídias e de investimentos em entretenimento) aqui na região. E hoje, afirmo sem medo de errar, que pelo menos em relação aos DJs profissionais, está muito difícil. Os melhores do mercado ainda são os veteranos, os cascudos. Os que entendem que só a mídia não faz milagre. Se o cara não for bom de frente da case, diante do público, não há mídia que o segure por muito tempo.

Quintal do Chapoquinha: amigos do pagode de Cabo Frio
Quintal do Chapoquinha: amigos do pagode de Cabo Frio

Salvo honrosas exceções, os mais novos, que têm toda a tecnologia a seu favor, não conseguem entender que música é, sobretudo, conhecimento e entretenimento. Ninguém inventou nada agora: um riff de guitarra, um loop de EDM, um teclado de house, um pontinho do funk. Tudo vem de muito tempo, de estudo, de ouvir música, de gostar de música.

Bloco Quero Mais 2014
Bloco Quero Mais 2014

Ah! E além da limitação do talento, tem os que estão sempre esperando uma oportunidade pra oferecer o trinômio BBB: bom, bonito e barato. Costumo sempre dizer que se é bom e bonito, não é barato; se é bom e barato, não é bonito; e se é bonito e barato, não é bom. E, no nosso ramo, um trabalho que não é bom acaba com a noite de diversão de muitos (sem contar a deslealdade de tentar ocupar um espaço que já está ocupado).

Alvinho Nada Igual
Alvinho Nada Igual

Se é que eu posso servir de aconselhador de alguém, uma dica (que serve pra todo mundo, DJs veteranos e novatos e pra quem não é DJ):  ouçam música sem preconceitos. Não só o que você gosta ou o que você toca. Escute outras coisas. Abra sua mente. Expanda horizontes. Você vai descobrir muita coisa boa pra sua vida.

E pra quem fala que eu faço panela, um pensamento: só reclama de panela quem tá fora. E pra entrar na minha panela, tem que ser bom DE VERDADE.

Minha panela: projeto DJs United
Minha panela: projeto DJs United

Game Over: cidade pequena/média e Tinder não combinam. Tenho gente do meu relacionamento pessoal que tá bem enrolada por causa disso.

FlaTwitter: bastaram dois jogos amistosos de pré-temporada para que a neurastênica torcida do Flamengo no Twitter começasse a dar ataque de pelanca. Por padrão, a FlaTwitter (FlaTT, para os íntimos) é chata no máximo que se pode ser em 140 caracteres. Alguns já estão falando em rebaixamento no Brasileiro (que só começa em maio). Eu acho que falta sexo na vida dessas pessoas.

Skol Beats: a cerveja que chegou no mercado causando furor – e se tornou a queridinha do público feminino na noitada – agora está em versão latão. O que vai ter de gente dando PT no Carnaval por conta disso…

Vem pro Camarote: momento do “jabá” – de quarta a domingo, espero você no Camarote da Bola, no Boulevard Canal. Bandas de primeira linha, ambiente muito bacana e uma vibe positiva. Apareça e leve sua galera. A casa está trabalhando com lotação máxima todos os dias (graças a Deus). Um abraço aos irmãos Weverton e Cabeça e à toda a turma que trabalha comigo lá.

Pra terminar: não teve mesmo o Cabofolia. Alguém sentiu falta?

Baile de favela

E todo ano tem aquela velha discussão: a música-chiclete que vai ficar ressoando em nossos ouvidos durante todo o carnaval. Tem quem goste e coloque no repeat do celular (ou do CD do carro); tem quem deteste e fique se perguntando o responsável por tais canções.

Algumas músicas apareceram com destaque nesse verão. A gravação de “Camarote”, do (agora) onipresente Wesley Safadão; e “Bang”, da Anitta – cujo clipe, muito bem bolado, já alcançou 100 milhões de visualizações no YouTube em apenas três meses de exibição; eram as favoritas para o posto.

Porém, todos os holofotes apontam para a execução, a exaustão, de “Baile de Favela”, do paulista MC João. Confesso que quem me mostrou a música, há uns 20 dias, foi minha sobrinha Nathálya. Depois, fui ver no YouTube, e a quantidade de vídeos postados, de uns cinco, seis meses pra cá. com a música impressiona. Rapidamente, Konrad Dantas, o “Kondzilla”, um dos maiores nomes do mercado de produção de videoclipes para a internet no pais nos últimos anos (voltado, quase todo, para o mundo do funk), gravou um vídeo, que em quatro meses, já passou dos 50 milhões de views.

Confira o vídeo de “Baile de Favela”: se é que você ainda não viu

mc-joao-aos-23-anos-domina-o-brasil-com-baile-de-favela-1452797209359_300x300
MC João é baile de favela :)

Sempre que se fala em funk, volta-se à discussão de quase três décadas sobre o ritmo, suas virtudes e defeitos. No caso específico de “Baile de Favela”, o sucesso paulista (mais um) provoca discussão interna entre DJs, MCs e produtores do “funk carioca”. Eu sempre penso que música é feita para entreter, divertir. A letra original tem conotação sexual explícita (ou putaria, como queiram), mas o Dennis,  hoje o mais renomado produtor do gênero, fez versões “lights” (sem os palavrões) e com regiões do Rio e Grande Rio (além da versão com as comunidades originais paulistanas citadas).

A repercussão da música continua. O portal UOL fez matéria sobre a música no final de semana. Todo lugar onde eu vou tocar sempre tem alguém que pede. E até algumas bandas já tocam, de brincadeira ou não, aquele que promete ser o hit do carnaval. Preparem os ouvidos.

Veja também os clipes de “Camarote” e “Bang”!