Resumo da LCFS – 5/9/11

Resumo da LCFS – 5/9/11

JOGOS DA SEMANA PASSADA
Campeonato Municipal Adulto – 4ª rodada 
30/9 – terça – ADDP 2 x 0 Rosa de Saron
Campeonato Municipal sub20 – 3ª rodada
1/9 – quinta – Tamoyo 4 x 5 Zelador
Campeonato Municipal sub17 – 2ª rodada
31/8 – quarta – O jogo entre Grêmio Samburá x ADDP foi adiado para esta terça-feira devido ao mau tempo.
Campeonato Municipal sub15 – 2ª rodada
3/9 – sábado – ADDP 2 x 1 Gaivota
Campeonato Municipal sub13 – 1ª rodada
3/9 – Grêmio Samburá 4 x 3 Gaivota
Campeonato Municipal sub11 – 1ª rodada
3/9 – sábado – Grêmio Samburá 2 x 2 Gaivota
Campeonato Municipal sub9 – 1ª rodada
3/9 – sábado – Grêmio Samburá 4 x 2 Gaivota
Todos os jogos foram realizados no ginásio poliesportivo municipal Vivaldo Barreto, no Jardim Esperança, em Cabo Frio.
CLASSIFICAÇÃO
Campeonato Municipal Adulto
1º) ADDP, 9 pontos; 2º) Arraial do Cabo, 7 pontos; 3º) Rosa de Saron/Mais Saúde Fitness, 6 pontos; 4º) Zelador e Cabufas, 3 pontos; 6º) Grêmio Samburá, 1 ponto.
Campeonato Municipal sub20
1º) ADDP e Grêmio Samburá, 6 pontos; 3º) Rosa de Saron/Mais Saúde Fitness, 5 pontos; 4º) Zelador, 4 pontos; 5º) Tamoyo, 3 pontos; 6º) Bandeira Real, 1 ponto.
Campeonato Municipal sub17
GRUPO A: 1º) Grêmio Samburá, ADDP e Arraial do Cabo, 3 pontos; 4º) Rosa de Saron/Mais Saúde Fitness, 0 ponto.
GRUPO B: 1º) Bandeira Real e Tamoyo, 6 pontos; 3º) Zelador e Vovô Lima Esportes, 0 ponto.
Campeonato Municipal sub15
1º) Bandeira Real, 6 pontos; 2º) ADDP, Rosa de Saron/Mais Saúde Fitness e Vovô Lima Esporte, 3 pontos; 5º) Gaivota, Grêmio Samburá e AA Cabofriense, 0 ponto.
Campeonato Municipal sub13
1º) AA Cabofriense e Grêmio Samburá, 3 pontos; 3º) Bandeira Real, Vovô Lima Esporte e Gaivota, 0 ponto.
Campeonato Municipal sub11
1º) AA Cabofriense, Grêmio Samburá, Bandeira Real e Gaivota, 1 ponto.
Campeonato Municipal sub9
1º) Grêmio Samburá e Bandeira Real, 3 pontos; 3º) AA Cabofriense e Gaivota, 1 ponto.
Campeonato Municipal sub7
1º) AA Cabofriense e Bandeira Real 1 ponto; 3º) Grêmio Samburá, 0 ponto.
JOGOS DESTA SEMANA
6/9 – terça
19h – Grêmio Samburá x ADDP – sub17
20h20 – Arraial do Cabo x Zelador – adulto
7/9 – quarta
Feriado nacional – não haverá jogos
8/9 – quinta
19h45 – Zelador x Grêmio Samburá
10/9 – sábado – a partir das 8h 
sub-15 – Rosa de Saron/Mais Saúde Fitness x AA Cabofriense
sub-15 – Gaivota x Grêmio Samburá
sub-7 – Grêmio Samburá x Bandeira Real
sub-9 – Grêmio Samburá x Bandeira Real
sub-11 – Grêmio Samburá x Bandeira Real
sub-13 – Grêmio Samburá x Bandeira Real

Todos os jogos serão realizados no ginásio poliesportivo municipal Vivaldo Barreto, no Jardim Esperança, em Cabo Frio
Anúncios
Vai começar o Municipal de Futsal de Cabo Frio – parte 3

Vai começar o Municipal de Futsal de Cabo Frio – parte 3

A minha principal expectativa em relação ao Campeonato Municipal deste ano vai ser a da frequência de público no ginásio Vivaldo Barreto. Acho que vai haver o mesmo “estranhamento” de 2005, quando o Municipal saiu dos ginásios da Cabofriense e do Tamoyo e foi para o Aracy Machado.

A situação atual tem algumas desvantagens. O ginásio Aracy Machado é entre o Portinho e o Itajuru, bem próximo do centro até para quem ia a pé. O público se acostumou a ir aos jogos e, gradativamente, o público passou a aumentar – se não na frequência dos anos 90, pelo menos pra um público aceitável. O parâmetro da Liga de Futsal de Cabo Frio era um pouco cruel porque, com o sucesso do Centro Esportivo de Cabo Frio em 2007 e 2008, quando foi bicampeão carioca, o time profissional da cidade cansou de levar 2 mil pessoas (e até mais que isso, nos jogos decisivos) em partidas de campeonatos estaduais e da Liga Nacional. Um público de 200 pessoas para jogos do Municipal era bem razoável, se considerarmos que o nível das partidas estava longe de ser o mesmo.

O ginásio Vivaldo Barreto é na chegada do Jardim Esperança, pra quem vai do centro. Não é o que se possa chamar de longe – de carro, da descida da ponte Feliciano Sodré até lá se gasta uns 10 minutos, com certo trânsito. Mas o público ainda não se habituou a ir, talvez por preguiça. Por outro lado, o ginásio também não é no “centrão” do Jardim Esperança, próximo da avenida Ézio Cardoso da Fonseca (a principal do bairro). Dá pra ir a pé dali, mas como o ginásio é algo novo por aquelas bandas, quase nunca se sabe quando tem ou não programação. Uma ação de mídia envolvendo os bairros próximos (Boca do Mato, Monte Alegre/Rainha da Sucata, Parque Eldorado, Jardim Esperança, Jardim Peró e Tangará) seria boa, principalmente para arregimentar novos fãs para o futsal.

Outro problema detectado no ginásio provavelmente não foi mensurado (ou foi ignorado) na época da sua construção e veio à tona com força na última semana: a umidade do ar. O ginásio Vivaldo Barreto fica em uma área de subida do bairro, em um descampado, sem construções naquele nível de altura. E ali, esta época do ano realmente faz frio (pros padrões cabofrienses de frio).

O que acontece é que o sereno invade o ginásio de uma tal maneira que os jogos à noite se tornam praticamente impraticáveis. A partida da categoria sub-20 entre ADDP x São Cristóvão, pelo Carioca, foi suspensa na sexta-feira passada (17), com apenas dois minutos de jogo, depois de quase uma hora de infrutíferas tentativas dos jogadores para permanecerem de pé; e dos demais membros das duas equipes para manterem a quadra seca.

Ontem, o jogo recomeçou e teve o primeiro tempo com condições razoáveis de realização. No segundo tempo e no jogo da categoria adulto entre as duas equipes, as cenas de pastelão se repetiram: tombos, escorregões e cambalhotas se sucederam, e somente graças à boa vontade das duas equipes e dos árbitros, as partidas chegaram ao seu final (com vitórias da ADDP por 9 a 5 no sub-20 e 9 a 1 no adulto).

Como estamos no início de um inverno que, pela prévia, parece que será rigoroso, não dá pra achar que ficaremos livres do sereno nos próximos dias/meses. Pela manhã, o orvalho que se acumula no teto do ginásio se condensa, cai e molha todo o piso. De alguma forma, é quase certo que o “futebol de sabão” vai se repetir. Ontem tentamos uma mistura de coca-cola com açúcar. Já havia sido tentado laquê de cabelo, também sem sucesso. O bom e velho breu também é uma alternativa que deve ser testada logo (quem sabe hoje, na abertura do Municipal?). Não sei se pode ser feito algo pra impedir o sereno de entrar – de repente vedando os furos dos tijolinhos com uma lona, ou algo do tipo. Mas não vai ser nem rápido nem sei se é eficiente.

Como se já não bastasse o exíguo espaço dos vestiários; a chuva que cai sobre os bancos de reservas (pelos tijolinhos furados que há em todo o ginásio, no alto); e a dificuldade dos árbitros enxergarem o jogo nas partidas à tarde, já que o brilho do sol bate bem no rosto de quem fica nas laterais da quadra entre às 15 e às 17h, agora surgiu mais este desconforto causado pelo sereno – que na prática, é o único que realmente pode impedir a realização das partidas e atrasar ainda mais o já apertado calendário das modalidades esportivas na cidade.

Ah! Mas pra não parecer um corneteiro que fica de ‘mimimi’ o tempo todo e não elogia nada, duas notas: uma, a equipe de apoio do ginásio é sensacional, tá sempre disposta a ajudar, sempre te atendendo bem e com um sorriso no rosto. Isso faz uma boa diferença. A segunda nota é que o piso emborrachado é bom de se jogar, embora eu prefira o piso flutuante que era utilizado no Aracy Machado (e é utilizado nas principais arenas esportivas do país, como as modernas Arena Vivo, em Belo Horizonte; Arena Santos e Arena Jaraguá, em Jaraguá do Sul).

Vai começar o Municipal de Futsal de Cabo Frio – parte 2

Vai começar o Municipal de Futsal de Cabo Frio – parte 2

Dividi o post em dois para facilitar a leitura e não ficar muito longo, já que o assunto é bem extenso. Mas retomando a conversa, este ano, pela primeira vez, a competição terá como casa principal o ginásio Vivaldo Barreto, inaugurado em outubro do ano passado. Com o ginásio Aracy Machado em reforma (e só ficando pronto daqui a dois meses, aproximadamente), os torneios de todas as modalidades estão sendo disputados na arena esportiva do Jardim Esperança.

Por um lado, é bom: durante anos, estabeleceu-se um mito (até por sua origem na cidade) de que o futsal era uma modalidade elitista, restrita apenas ao centro e ao lado “de cá” da ponte Feliciano Sodré, com exceção da Gamboa – leia-se por lado “de cá” da ponte o centro, São Cristóvão e demais bairros adjacentes.

No final dos anos 90 e no início dos anos 2000, o CEEDUC acabou sendo o principal responsável pela quebra deste mito. Com uma ação voltada para atender crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, o CEEDUC fez do futsal sua principal cartão de visitas, levando a modalidade à periferia de Cabo Frio. Muito se discutiu a questão técnica e legal de suas atividades esportivas, já que, à época, seus instrutores não eram formados em Educação Física e isto era sempre motivo de questionamentos. Mas até para isso, o futsal serviu: nomes como Adalberto Ricardo, Wagner Kbça e Bruno Gago, que trabalharam no projeto, hoje são profissionais da área de Educação Física. Sem contar a infinidade de jogadores revelados pelo CEEDUC – e muitas vidas salvas do tráfico por conta deste trabalho, que perdeu força depois da morte de seu fundador, Ivan Veleiro; e acabou sendo desativado no final da década passada.

Hoje se pratica futsal em todo o canto. Estou desde 2006 na ADDP, já treinei a equipe na quadra do Itajuru, no CTL do Santa Rosa, no Porto do Carro; e desde o ano passado, no Recanto das Dunas. Os talentos brotam nesta cidade e é preciso pessoas capacitadas para lapidá-los. Tenho muita preocupação com o cenário atual do futsal da cidade, onde há poucos clubes nas categorias sub-15 e sub-17 com um trabalho consistente de formação dos jogadores. O futsal é uma modalidade que alia o talento à inteligência e nestas categorias, quanto mais informações forem passadas de uma maneira compreensível, melhores jogadores estes garotos se tornarão no futuro.

O campeonato começa hoje no adulto e na próxima semana, nas categorias sub-15, sub-17 e sub-20. Nas categorias menores (do sub-7 ao sub-13), o torneio começa no dia 9 de julho, apesar do boicote de alguns clubes que, baseados em uma mentalidade provinciana demais para a época em que vivemos (ainda presa no início da Liga, há 25 anos) não concordam com a participação de clubes de outras cidades na competição e estão decididos a montar um campeonato paralelo.

No adulto, além da ADDP, atual pentacampeã; e do Grêmio Samburá, que se enfrentam na partida inaugural; estão Rosa de Saron, vice-campeã em 2008 e no ano passado; Zelador, Progresso, Arraial do Cabo e o recém-fundado Cabufas, estreante na competição.

Maior vencedor da história do Municipal, com oito títulos (1987, 89/90, 93, 97/98, 2003/04), o Tamoyo declinou de participar do torneio este ano. A alegação oficial do clube eu não sei, mas é público e notório que seus dirigentes não concordam com a participação da ADDP no campeonato, por avaliarem que o clube tem uma prática “profissional” com seus atletas. O Tamoyo disputou 22 das 24 edições anteriores, só ficando fora em 1988 e 2002.