Um protesto

Um protesto

ADDP, hexacampeã do futsal de Cabo Frio. Mas para a "Folha dos Lagos", o título foi irrelevante (Crédito da foto: Léo Borges/Na Jogada)

Nos tempos de hoje, onde o jornalismo acabou se reinventando por conta de toda a avalanche de informação e a proliferação das redes sociais, blogs (e suas variações: microblogs, videoblog, fotoblogs e afins), muita gente envolvida no meio acaba procurando o meio mais fácil de conseguir visibilidade. A pressa no ato de dar a informação – ainda que equivocada ou não totalmente apurada – substitui cada vez mais a chance de uma notícia “redonda”, com todas as fontes checadas, as duas versões ouvidas e, se for o caso, confrontadas.

Vivemos uma era onde os portais querem audiência, ainda que com matérias de gosto duvidoso, como um suposto vídeo de um famoso em um iate com modelos, ou de um famoso em ato de masturbação (!) em frente a webcam. Estamos nesta era. A era do vale-tudo midiático.

Quando não é isso, algumas pessoas se perdem na tênue linha entre o jornalismo e o blogueirismo. Que o diga o meu amigo Filipe Rangel. Jornalista da “Folha dos Lagos”, jornal de maior circulação de Cabo Frio, esteve no ginásio Vivaldo Barreto na última terça-feira para cobrir a decisão do campeonato municipal entre ADDP e Arraial do Cabo. Com a vitória por 5 a 2, a ADDP – clube do qual faço parte – sagrou-se hexacampeão cabofriense de futsal, um feito inédito e histórico para o clube que tem pouco mais de seis anos de existência.

Ao ver a matéria assinada pelo Filipe nesta quinta-feira na “Folha”, um susto, pelo menos, pra mim. Na matéria “Emoção no fim do Municipal de Futsal”, a menção sobre o título vem em um simples período na segunda frase do texto, resumida em “(…) O título ficou com a ADDP (…)”. Na maior parte do texto, nada que denotasse jornalisticamente a importância da conquista – minimizada em prol de repetir, por duas vezes no texto, sobre os erros da arbitragem.

Nada contra o Filipe ter a predileção pessoal dele para torcer pelo time que quiser. Nada também com o fato dele ter tido problemas pessoais de relacionamento com “um integrante da comissão técnica alviverde” (entre aspas, apenas repetindo textualmente o que ele escreveu na matéria, sem citar o nome da pessoa, o que denota uma profunda falta de tato ao generalizar algo que é pessoal e fácil de resolver, apenas identificando as pessoas).

O que me incomoda – ainda mais partindo de um camarada que eu gosto – é que houve uma mistura das estações. O Filipe pode torcer pra algum time? Claro que pode. Pode escrever um texto expressando suas opiniões? Claro. Mas não em uma matéria. Observemos o parágrafo abaixo (o grifo é meu):

“Os dois jogos finais, marcados por graves erros de arbitragem, também foram dos melhores do Municipal. No primeiro deles, empate em 2 a 2, com fortes reclamações de jogadores, membros da comissão técnica e torcedores do Arraial do Cabo, indignados com a arbitragem”.

Graves erros de arbitragem? Quais? A favor de quem? Por que não estão citados na matéria? Avaliados como “graves erros” por quem?

Vamos em frente:

“(…)  As agressões não se repetiram, mas os erros da arbitragem voltaram a gerar  reclamações nas arquibancadas. A expulsão de Peri, um dos principais jogadores do Arraial, foi bastante contestada

Foi mesmo. E com justiça, diga-se de passagem, uma vez que o primeiro cartão amarelo que o atleta recebeu foi pra lá de discutível. Mas isso, em nenhum momento foi descrito na matéria, que, incompleta, deixa margem para que o leitor avalie que o texto (e/ou seu autor) está (estão) sendo tendencioso(s).

Quanto ao juízo de valor feito em toda a matéria, também é um direito de quem escreve. Mas ficaria melhor em uma coluna ou em um artigo, onde quem assina é responsável pelas suas opiniões. Respeito a opinião do Filipe Rangel, mas o texto foi, no mínimo, inoportuno.

Em tempo: qualquer pessoa pode achar o texto acima inoportuno. Mas aqui é o meu blog, eu assino e escrevo para emitir as minhas opiniões. Toda vez que eu escrevo aqui, tenho ciência de que o que escrevo é minha responsabilidade. E não transfiro a responsabilidade do que escrevo aqui pra ninguém.

Anúncios
Estadual sub20 da FFSERJ

Estadual sub20 da FFSERJ

Começou ontem, com dois jogos, o Estadual sub20 de futsal do Rio, promovido pela FFSERJ. Foram duas boas partidas e que mostram que a competição, embora com apenas sete clubes, será bem disputada e em um nível muito alto.

A ADDP, time que eu dirijo, não joga nesta rodada. Ontem, no ginásio Vivaldo Barreto, o Grêmio Samburá perdeu para o Fluminense por 8 a 2 e o Cabo Frio foi derrotado pelo bom time do Vasco por 3 a 1. Hoje, no ginásio do Olaria, a Casa de España/Botafogo joga contra o Piedade.

A gente estreia semana que vem, contra o Vasco, no ginásio de São Januário. Mesmo com um time alterado em relação ao que nos venceu na semifinal do Campeonato Carioca, há dois meses e meio (chegaram alguns atletas, saíram outros), me impressionou a qualidade da equipe comandada pelo professor Marcelo Akra. Teremos um jogo muito complicado pra estrear, vamos ver como a nossa equipe (que não está em um bom momento, precisa melhorar muito) se porta.

ADDP encara Imperial na estreia do Estadual de Futsal do Rio

ADDP encara Imperial na estreia do Estadual de Futsal do Rio

A ADDP estreia nesta sexta-feira (9/9) no Campeonato Estadual de Futsal, na categoria adulto, promovido pela Federação de Futsal do Rio (FFSERJ). Integrando o grupo “B” da competição, a equipe de Cabo Frio recebe o Imperial Futsal, de Petrópolis, no ginásio Vivaldo Barreto, às 20h, em jogo válido pela segunda rodada da primeira fase.

Depois de folgar na primeira rodada, a ADDP tem como adversário uma das equipes que mais se reforçou para o Estadual. Semifinalista do Campeonato Carioca, o Imperial Futsal contratou quase dez jogadores para a disputa do Estadual. Na abertura da competição, o time comandado por Ney Marcos venceu em Petrópolis a Casa de España/Botafogo, campeã carioca no primeiro semestre, por 2 a 1.

A ADDP fez um Campeonato Carioca acima das expectativas, terminando a competição na quinta colocação, em sua melhor campanha em competições promovidas pela FFSERJ desde 2006, quando se filiou à entidade. Para o Estadual, o time perdeu o pivô Rodriguinho, artilheiro do Carioca, com 22 gols, que se transferiu para o Macaé Sports.
Além do Imperial Futsal, a ADDP terá como adversários no grupo “B” o Petrópolis/Poker, vice-campeão estadual em 2010; a Casa de España/Botafogo e o CAER/Prefeitura de Três Rios, na chave que é apontada pela imprensa como a mais difícil do campeonato – tanto que foi apelidada de “chave da morte” pelos especialistas.

Para a estreia desta sexta-feira, o técnico Everaldo Rangel não poderá contar com vários jogadores que estão contundidos, dentre os quais os fixos Rafael Antunes e Dudu e o ala Jackson. Foram relacionados os goleiros Marcelo e Thiago Vidal; os fixos Marquinho e Thiago Campos; os alas Renatinho, Papaulo, Rodolpho, Mumu, Dedé, Fernando Marrinha, e Sanny (que faz sua estreia na equipe adulta); e o pivô Marcos Paulo.

RESULTADOS DA 2ª RODADA: América 1 x 6 Fluminense e Macaé Sports 3 x 1 América de Três Rios (grupo A); CAER/Prefeitura de Três Rios 1 x 8 Casa de España/Botafogo (grupo B).

Com informações de Dayanne Neves
Assessoria de imprensa da ADDP
(22) 9830-0789
Email: addpfutsal@gmail.com – Twitter: @addpfutsal
Visite nossa página no Facebook: http://www.facebook.com/addpfutsal